#cancerdemama            #outubrorosa


NOTÍCIAS


29/03/2011

Comitê da Pós-graduação do IZ autoriza qualificação intitulada: Valor nutritivo e formas de utilização do resíduo de pupunha para ruminantes (05/04/2011)

No último dia 16 de março, o Comitê da Pós-graduação do Instituto de Zootecnia aprovou para qualificação o Senhor José Evandro Moraes, dissertação intitulada: VALOR NUTRITIVO E FORMAS DE UTILIZAÇÃO DO RESÍDUO DE PUPUNHA PARA RUMINANTES, referente ao Curso de Mestrado em Produção Animal Sustentável.

O exame será realizado no dia 05 de abril de 2011, com início às 9h00, na sala de defesas, da nova Ala de Pós-graduação, no prédio técnico do Instituto de Zootecnia.


Os membros para compor a
Comissão Julgadora está assim constituída pelos Titulares: Professor Valdinei Tadeu Paulino – Orientador; Professor Erval Rafael Damatto Junior – UPD Registro/APTA/SAA  e  Dr. Evaldo Ferrari Junior. Como suplentes estão: Dra. Cristina Maria Barbosa Pacheco – UPD de Itapetininga/APTA/SAA e Professor Mauro Sartori Bueno. 


Segundo o Senhor Moraes o objetivo deste trabalho foi avaliar o valor nutritivo e formas de utilização do resíduo agroindustrial de pupunheira na alimentação animal. As observações f
oram realizadas na APTA - Pólo Regional do Vale do Ribeira - Pariquera-Açú/SP e também no Instituto de Zootecnia - Nova Odessa/SP. O resíduo in natura foi avaliado em dois ensaios, um sobre qualidade e outro sobre sua digestibilidade aparente, com os tratamentos; testemunha (resíduo sem aditivos); resíduo com banana (cachos); resíduo com arroz (sem classificação) e resíduo com polpa cítrica, com nível de 25% de matéria seca equivalente. O resíduo ensilado foi avaliado em dois ensaios, um sobre qualidade e outro sobre sua digestibilidade aparente, com os tratamentos;testemunha (resíduo sem aditivos) e adição de 15 % da matéria natural aos resíduos de pupunha como os mesmos produtos adicionados no ensaio in natura. O delineamento experimental para os ensaios de qualidade foi o Fatorial 3 X 4, com quatro repetições; para digestibilidade aparente foi adotado o Delineamento em Blocos Casualizados(DBC) com 5 repetições. Os melhores resultados para os ensaios de qualidade do resíduo in natura e do resíduo ensilado foram os tratamentos com adição de arroz e polpa cítrica. As digestibilidades (aparente e in vitro) do resíduo foram superiores com o todos os aditivos, com maior destaque aos tratamentos com adição de arroz. O resíduo pode ser utilizado em dietas de ruminantes, a fibra é de boa qualidade com níveis protéicos variáveis. Quando comparado a outros volumosos pode ser considerado de média a alta qualidade. A grande quantidade de água no resíduo prejudica sua eficiência e estocagem. A utilização do resíduo pode servir como ferramenta à sustentabilidade da cadeia produtiva do palmito de pupunheira e produção animal em regiões onde as atividades co-existam.

 

Em breve a dissertação de mestrado poderá ser conferida na íntegra.

Para mais informações:

PGIZ
Coordenadora
Keila Maria Roncato Duarte

http://www.iz.sp.gov.br/pos/
pgiz@iz.sp.gov.br
3466 - 9464



 

Veja todas as notícias



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir