Desempenho e características de carcaça de cordeiros alimentados com diferentes silagens

  • Iuri Vasconcelos Palmeira Cruz Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Zootecnia,São Cristovão, SE
  • Alfredo Acosta Backes Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Zootecnia,São Cristovão, SE
  • Jailson Lara Fagundes Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Zootecnia,São Cristovão, SE
  • Braúlio Maia de Lana Sousa Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Zootecnia,São Cristovão, SE
  • Jodnes Sobreira Vieira Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Zootecnia,São Cristovão, SE
  • Rangel dos Santos Oliveiras Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Zootecnia,São Cristovão, SE
Palavras-chave: batata doce, capim-elefante, cortes comerciais, espessura de gordura.

Resumo

Objetivando determinar a influência de diferentes silagens no desempenho e características de carcaça de cordeiros confinados, foram utilizados 15 cordeiros da raça Santa Inês não castrados com idade média de três meses e peso vivo médio inicial de 18,7 ± 2,5 kg. Os animais foram distribuídos aleatoriamente nos seguintes tratamentos: silagem de milho; silagem de capim-elefante com 15% de fubá de milho; silagem da parte aérea da batata doce com 15% de fubá de milho (SPAB), com cinco repetições por tratamento, sendo que o volumoso compunha 50% da matéria seca da dieta. Não houve diferença (P>0,05) para as características da carcaça e nem para cortes comerciais, provavelmente devido à composição química das dietas e o consumo de matéria seca pelos animais ter sido semelhante entre os tratamentos. As silagens da parte aérea da batata doce e do capim-elefante não afetam o desempenho, características de carcaça e cortes cárneos, sendo recomendadas, com base na avaliação nutricional, para alimentação de cordeiros confinados.
Publicado
29-06-2016
Como Citar
Cruz, I., Backes, A., Fagundes, J., Sousa, B., Vieira, J., & Oliveiras, R. (2016). Desempenho e características de carcaça de cordeiros alimentados com diferentes silagens. Boletim De Indústria Animal, 73(2), 143-149. https://doi.org/10.17523/bia.v73n2p143
Seção
QUALIDADE DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL