Avaliação bioeconômica do consórcio de sorgo com diferentes espécies forrageiras para sistema de integração lavoura-pecuária em Nova Porteirinha, MG

  • Rodrigo de Andrade Ferrazza Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Botucatu, SP
  • Marcos Aurélio Lopes Universidade Federal de Lavras, Departamento de Medicina Veterinária, Lavras, MG
  • Carlos Juliano Brant Albuquerque Universidade Federal de Minas Gerais, Instituto de Ciências Agrárias, Montes Claros, MG
Palavras-chave: bovinocultura de corte, grãos, semiárido, Sorghum bicolor L., tomada de decisão

Resumo

Esta pesquisa foi conduzida com o intuito de avaliar a viabilidade bioeconômica do consórcio de sorgo com diferentes espécies forrageiras para o sistema de integração lavoura pecuária (iLP) no município de Nova Porteirinha, MG. No primeiro ano do experimento, foram semeadas sete espécies de gramíneas em consórcio com o sorgo para formação da pastagem, além do sorgo solteiro, em dois espaçamentos (40 e 80 cm), definindo os dezesseis tratamentos: a) Brachiaria decumbens + sorgo; b) B. brizantha + sorgo; c) B. ruziziensis + sorgo; d) Cenchrus ciliaris cv. Áridus + sorgo; e) C. ciliaris cv. 131 + sorgo; f) Panicum maximum + sorgo; g) Andropogon gayanus + sorgo; h) Sorgo solteiro. No segundo ano agrícola, as forragens foram previamente dessecadas para o plantio direto do sorgo. Os indicadores de eficiência econômica utilizados foram Payback Simples, Payback Descontado, Valor Presente Líquido, Taxa Interna de Retorno e relação Benefício/Custo. Foram observadas diferenças estatísticas (P<0,01) para o efeito dos consórcios, espaçamentos e interação consórcios x espaçamentos para produtividade do sorgo. Foram constatadas diferenças significativas para o efeito dos consórcios (P<0,01), espaçamentos (P<0,01) e interação consórcios x espaçamentos (P<0,05) para produtividade de matéria seca da forragem. Dos quatorze tratamentos para os sistemas iLP analisados, seis apresentaram maior viabilidade econômica e atratividade quando comparado ao sorgo solteiro. O consórcio mais recomendado foi sorgo cultivado com B. ruziziensis e B. brizantha, para os espaçamentos 80 cm e 40 cm, respectivamente, devido à elevada produtividade e ao baixo valor da implantação da pastagem.
Publicado
29-06-2016
Como Citar
Ferrazza, R., Lopes, M., & Albuquerque, C. (2016). Avaliação bioeconômica do consórcio de sorgo com diferentes espécies forrageiras para sistema de integração lavoura-pecuária em Nova Porteirinha, MG. Boletim De Indústria Animal, 73(2), 94-102. https://doi.org/10.17523/bia.v73n2p94
Seção
FORRAGICULTURA E PASTAGENS

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)